Órgãos

COMCAP



  • Banner: Coleta domiciliar de resíduos sólidos
  • Banner: Coleta gratuita de resíduos volumosos
  • Banner: Destino certo aos resíduos
  • Banner: Ecopontos da Comcap
  • Banner: PEVs de Vidro
  • Banner: Adesivos para lixeiras
  • Banner: Parque Jardim Botânico de Florianópolis
03/03/2017 - Comcap
Acidentes de trabalho diminuem em 2016, mas perdas ainda são altas
Em 2016, Comcap registrou 242 acidentes, 34 a menos que no ano anterior. Usuário do sistema de coleta pode contribuir para diminuir riscos.

foto/divulgação: Adriana Baldissarelli

Gari Ismael Wellington Daniel sofreu acidente com vidro esta semana

Em 2016, a Companhia Melhoramentos da Capital registrou 242 acidentes de trabalho, 34 a menos que no período anterior. Mais animadora foi a redução de dias perdidos por afastamento. Em 2015, somando os dias de afastamento de cada um dos empregados envolvidos em acidentes foram perdidos 2.814 dias de trabalho. Em 2016, esse número caiu para 1.837, quase mil a menos, indicando redução não só no número de acidentes como na gravidade dos danos.


Dos 20 acidentes que ocorreram em média por mês, metade foi provocada por circunstâncias alheias à empresa. A maior parte dos acidentes ocorre pelas más condições das calçadas e vias, porque o usuário oferece os resíduos de forma inadequada ou no trajeto para o trabalho. De modo que a colaboração do usuário do sistema de coleta pode contribuir para a redução de acidentes.

Além dos acidentes com vidro mal acondicionado, porque o usuário deixou de embalar em jornal e dispor em caixa longa vida ou garrafa plástica rígida e de sinalizar o perigo, o uso de contentores de baixa qualidade tem caracterizado nova fonte de risco aos garis. Os contentores são de uso obrigatório em domicílios comerciais e de serviços e em condomínios residenciais pela Lei 113/2003.

Em 2016, apenas no mês de abril não ocorreram acidentes com contentores de resíduos sólidos. De acordo com a gerente da Divisão de Segurança e Medicina do Trabalho, Cléria Winck Dias, durante o ano foram 17 acidentes diretamente relacionados aos equipamentos, com prejuízo de 139 dias em afastamento de empregados.

 

De modo que o risco de acidente com contentores já é maior do que o verificado por excesso de peso.

 

O número de acidentes por ataque de animal reduziu pela metade de 2015 para 2016.

 

Dos 242 acidentes ocorridos entre janeiro e dezembro de 2016 na Comcap:

 [motivos relacionados ao ambiente urbano]

 

  • 54 foram provocados por piso irregular

 

 

 [motivos relacionados ao comportamento do usuário do sistema de coleta de resíduos]

 

  • 16 por excesso de peso
  • 12 por vidro
  • 16 por objeto perfurocortante (latas, cascas de siri)
  • 7 por ataque animal

 

 

 

[motivos relacionados ao trajeto/trânsito]

 

  • 16 acidentes de trajeto

 

 

[motivos relacionados à imperícia ou outras questões internas da empresa]

 

  • 30 por choque contra equipamento
  • 18 por choque contra objeto (saco arremessado, por exemplo)
  • 19 por postura inadequada
  • 10 por queda em diferença de nível
  • 32 outros (não especificados)
  • 5 por corpo estranho (objeto que atingiu olho)
  • 5 por prensamento (na oficina mecânica).

 

 

Dias perdidos por acidentes em 2015: 2.814

Dias perdidos por acidentes em 2016: 1.837



Partes do corpo atingidas:

  • Membros inferiores (pé, tornozelo, joelho, perna e virilha) 115 acidentes
  • Membros superiores ( Mãos, braços e ombros) 75
  • Outras partes (cabeça, coluna e partes múltiplas e as partes não especificadas) 52

 

Novas ocorrências esta semana

Segunda-feira (2), o gari Ismael Wellington Daniel, de 35 anos, há cinco anos na Comcap, feriu-se na Rua Rita Lourenço da Silveira, na Lagoa da Conceição. Segundo o relato feito ao Departamento de Coleta, o prédio gerador dos resíduos, para não colocar o contentor à rua, retirou os sacos e deixou-os na calçada. Para levantar um desses sacos, pesado, Ismael apoiou o joelho nos demais que ficaram no chão e cortou o joelho com um gargalo de garrafa que estava dentro sem qualquer proteção ou aviso.

 

 

O QUE FAZER COM RESÍDUOS PERFUROCORTANTES

 

 

  • CLIQUE AQUI para saber como destinar materiais perfurocortantes

 

  

Cacos de vidro, garrafas de bebidas, potes de alimentos, frascos de cosméticos e medicamentos vazios, copos e taças de vidro, latas (com a tampa para dentro), espetos, pregos, parafusos, arames                               

Embalar em jornais e acondicionar em caixa longa vida ou em embalagem plástica rígida (pote de sorvete ou garrafa pet). Vedar com fita adesiva e identificar presença de vidro                   

 

Entregar para coleta seletiva da Comcap

 

 

 

 

  • Vidros planos (de janelas), espelhos, cristais, utensílios de cerâmica, porcelana, pirex e similares não devem ser encaminhadas à coleta seletiva. Quando quebrados, em pequenas quantidades, é melhor embalá-los em jornal, colocar dentro de caixas longa vida e, depois disso, no saco de lixo da coleta convencional.

 

 

 

  • Lâmpadas devem ser devolvidas ao fabricante por meio do comércio local.

 

 

 

  • Em maior quantidade, garrafas e potes de vidro devem ser colocados em sacos claros ou caixas de papelão, identificados e colocados para a coleta seletiva da Comcap. Não devem ser misturados aos demais recicláveis secos, porque o transporte é feito em compartimento separado.

 

 

 

  • Todos os materiais recicláveis devem estar limpos.


galeria de imagens



Copyright © 2009-2017 Prefeitura de Florianópolis. Todos os direitos reservados.