Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial

26/11/2018 - Igualdade
MISSA AFRO É CELEBRADA EM FLORIANÓPOLIS E PEDE O FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA
Na data de 24 de Novembro do corrente ano foi celebrada pelo Padre Vilson Groh a Missa Afro na Igreja Nossa Senhora do Mont Serrat.

foto/divulgação: coppir

MISSA AFRO É CELEBRADA EM FLORIANÓPOLIS E PEDE O FIM DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA

 

Este ano a missa teve como tema "Por respeito à diversidade e contra a intolerância religiosa", pois todos os dias, terreiros de todo o país são atacados por vândalos e fundamentalistas que propagam violência e ódio. Recentemente, a imagem de Iemanjá e bens materiais do povo de santo do Ribeirão da Ilha foram depredados.

 

 

O objetivo da Missa Afro deste ano é unir à todos contra a intolerância religiosa, a violência e o desrespeito às religiões de matrizes africanas, pois todas as religiões visam o bem da humanidade, cada uma ao seu modo, com suas crenças, seus ritos e símbolos. 

 

 

Desde o começo da década de 1990 celebra-se na Igreja do Mont Serrat a Missa Afro (leia-se: MISSA NO RITO ROMANO INCULTURADO EM ESTILO AFRO-BRASILEIRO), na qual, instrumentos musicais, linguagens, vestimentas, alimentos característicos da culturas africanas e afro-brasileiras são trazidos e valorizados na celebração católica, resultando em um encontro inter-religioso com as religiões de matrizes africanas. Escrava Anastácia é um dos símbolos que representa a cultura negra. Um busto dela permanece dentro da igreja a mais de 20 anos. A história da personagem e seu significado para o povo negro são relembrados todos os anos no Dia da Consciência Negra, quando a imagem de Anastácia é reintroduzida na igreja ao som dos atabaques.

 

 

Na oportunidade o Coordenador de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de Florianópolis, Fábio Dias, apresentou o Projeto "FLORIPA SEM RACISMO" ao Padre Vilson Groh, e o convidou a participar das inúmeras ações que serão desencadeadas no referido Projeto.

 

 

E por fim, parabenizamos ao Padre Vilson Groh pela iniciativa em promover a Missa Afro e também por ser um cidadão exemplar e incansável na promoção de uma sociedade mais justa e que respeite as diversidades.

 

 

Este ano a missa teve como tema "Por respeito à diversidade e contra a intolerância religiosa", pois todos os dias, terreiros de todo o país são atacados por vândalos e fundamentalistas que propagam violência e ódio. Recentemente, a imagem de Iemanjá e bens materiais do povo de santo do Ribeirão da Ilha foram depredados.

 

 

O objetivo da Missa Afro deste ano é unir à todos contra a intolerância religiosa, a violência e o desrespeito às religiões de matrizes africanas, pois todas as religiões visam o bem da humanidade, cada uma ao seu modo, com suas crenças, seus ritos e símbolos. 

Desde o começo da década de 1990 celebra-se na Igreja do Mont Serrat a Missa Afro (leia-se: MISSA NO RITO ROMANO INCULTURADO EM ESTILO AFRO-BRASILEIRO), na qual, instrumentos musicais, linguagens, vestimentas, alimentos característicos da culturas africanas e afro-brasileiras são trazidos e valorizados na celebração católica, resultando em um encontro inter-religioso com as religiões de matrizes africanas. Escrava Anastácia é um dos símbolos que representa a cultura negra. Um busto dela permanece dentro da igreja a mais de 20 anos. A história da personagem e seu significado para o povo negro são relembrados todos os anos no Dia da Consciência Negra, quando a imagem de Anastácia é reintroduzida na igreja ao som dos atabaques.


Na oportunidade o Coordenador de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de Florianópolis, Fábio Dias, apresentou o Projeto "FLORIPA SEM RACISMO" ao Padre Vilson Groh, e o convidou a participar das inúmeras ações que serão desencadeadas no referido Projeto.


E por fim, parabenizamos ao Padre Vilson Groh pela iniciativa em promover a Missa Afro e também por ser um cidadão exemplar e incansável na promoção de uma sociedade mais justa e que respeite as diversidades.


galeria de imagens