• Banner: Comercio de Ambulantes
  • Banner: Oficinas de Drenagem Urbana
  • Banner: Feiras de Matemática e Ciências
  • Banner: Confira a Nova Nota Fiscal Eletrônica
  • Banner: Portal da Transparência
  • Banner: Plano Diretor
  • Banner: 2° VIA IPTU DIGITAL
06/09/2017 - SMS - Saúde
Campanha de Multivacinação começa na terça (12)

foto/divulgação: Arquivo SMS

Em Florianópolis, Campanha de Multivacinação começa na terça-feira (12)

A Campanha Nacional de Multivacinação começa na próxima terça-feira (12), com o objetivo de mobilizar os pais ou responsáveis a levar crianças e adolescentes aos centros de saúde para atualização do cartão de vacinação. Neste ano, a campanha vai até o dia 22 de setembro, com dia D marcado para o dia 16, sábado. O público-alvo são crianças e adolescentes menores de 15 anos.

 

Neste ano, os adolescentes foram incluídos porque este grupo prioritário é um dos que apresenta uma maior resistência a se vacinar. Com a campanha, serão atualizadas 14 vacinas para as crianças e cinco para adolescentes. Em Florianópolis, esta estratégia é especialmente importante, já que as coberturas vacinais não têm sido alcançadas nos últimos anos e vêm piorando gradativamente, gerando um grande contingente de pessoas desprotegidas contra doenças imunopreveníveis.

 

Com a campanha de vacinação, o ministério espera reduzir as doenças imunopreveníveis no País e diminuir o abandono à vacinação. Como a vacinação será de forma seletiva para a população alvo, não há meta a ser alcançada. O lançamento dessa campanha é importante, também, porque marca os 44 anos do Programa Nacional de Imunização, responsável pela erradicação da poliomielite no País e redução drástica de doenças.

 

Salas fechadas

 

Os pacientes do centro de saúde do Pantanal devem procurar as unidades do Córrego Grande ou do Saco dos Limões para a vacinação. No Itacorubi, nas manhãs de terça-feira, haverá apenas vacinação da BCG, já que a unidade é de referência para essa vacina. Demais dias serão feitas todas as vacinas da campanha.

 

No Sul, os pacientes do Alto Ribeirão podem procurar a unidade do Ribeirão da Ilha, mas todos os centros de saúde estão orientados para que acolham os pacientes. Já no Continente, pacientes da Vila Aparecida devem procurar o centro de saúde de Coqueiros. 

 

Demonstrativo das vacinas disponibilizadas na Campanha Nacional de Multivacinação para crianças menores de sete anos de idade:

 

BCG

Dose única ao nascer. Disponível para crianças menores de cinco anos não vacinadas.

Hepatite B

Administrar uma dose ao nascer, podendo ser administrada até um mês de idade em crianças não vacinadas.  Para a criança maior de um mês de idade não vacinada, agendar a vacina penta para os dois meses de idade

Penta

Criança de dois meses a menor de sete anos de idade (seis anos, 11 meses e 29 dias) deverá iniciar e concluir o esquema básico com esta vacina.  

* 1ª dose aos dois meses

* 2ª dose aos quatro meses

* 3ª dose aos seis meses

VIP

Criança a partir de dois meses de idade a menor de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias) deve receber três doses desta vacina com intervalo de dois meses entre elas.

* 1ª dose aos dois meses

* 2ª dose aos quatro meses

* 3ª dose aos seis meses

VOPb

Criança a partir dos 15 meses a menor de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias) deve receber:

* 1º reforço aos 15 meses

* 2º reforço aos quatro anos

Rotavírus humano

* 1ª dose aos dois meses

* 2ª dose aos quatro meses

Criança com idade de um mês e 15 dias a três meses e 15 dias pode receber a 1ª dose. Criança com idade de três meses e 15 dias a sete meses e 29 dias pode receber a 2ª dose desta vacina.

Pneumocócica 10 valente

Criança a partir dos dois meses de idade deve receber duas doses desta vacina com intervalo de 60 dias entre elas, e uma dose de reforço, preferencialmente aos 12 meses de idade, podendo ser administrada até os quatro anos de idade (quatro anos 11 meses e 29 dias).  

Criança que iniciou o esquema básico após seis meses de idade, considerar o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses e completar o esquema até os 12 meses de idade. O reforço deve ser administrado após 12 meses de idade, preferencialmente, com intervalo mínimo de 60 dias após a última dose. Nesta situação, administrar a dose de reforço até os quatro anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias). 

Criança entre um e quatro anos de idade com esquema completo de duas ou três doses (quando menor de 1 ano), mas sem a dose de reforço, administrar o reforço. 

Criança entre um e quatro anos de idade, sem comprovação vacinal, administrar uma única dose.

Meningocócica C conjugada

Criança a partir dos três meses de idade deve receber duas doses desta vacina com intervalo de 60 dias entre elas, e uma dose de reforço, preferencialmente aos 12 meses de idade, podendo ser administrada até os quatro anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias). Intervalo entre as doses é de 60 dias, mínimo de 30 dias.

Criança que iniciou o esquema após cinco meses de idade deve completá-lo até 12 meses, com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses; administrar o reforço com intervalo mínimo de 60 dias após a última dose. 

Criança entre um ano a quatro anos de idade com esquema completo de duas doses (quando menor de 1 ano), mas sem a dose de reforço, administrar o reforço. 

Criança entre um e quatro anos de idade, sem comprovação vacinal, administrar uma única dose.

Febre amarela

Criança a partir de nove meses de idade, RESIDENTE OU VIAJANTE DAS ÁREAS COM RECOMENDAÇÃO DE VACINAÇÃO OU COM RECOMENDAÇÃO TEMPORÁRIA DE VACINAÇÃO, não vacinada ou sem comprovante de vacinação:

* Administrar uma dose única da vacina.  * Considerar vacinada pelo resto da vida

Particularidades devem ser atendidas conforme Nota Informativa nº 94/2017.

Tríplice viral

Criança deve receber a 1ª dose da vacina aos 12 meses de idade e agendar para os 15 meses de idade a tetra viral ou tríplice viral mais varicela (atenuada), conforme a disponibilidade da vacina.

Manter intervalo mínimo de 30 dias entre as doses para as crianças que chegarem aos serviços após 14 meses de idade. Criança maior de 15 meses de idade sem nenhuma dose deve receber a 1ª dose e agendar a 2ª obedecendo ao intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

Tetra viral

Criança deverá receber uma dose da vacina tetra viral entre 15 meses e quatro anos de idade (quatro anos 11 meses e 29 dias) desde que já tenha recebido a 1ª dose da vacina tríplice viral.  

DTP

Criança a partir dos 15 meses de idade a menor de sete anos de idade (seis anos, 11 meses e 29 dias) deve receber dois reforços. 

* 1º reforço aos 15 meses  2º reforço aos quatro anos

Criança a partir de 15 meses e menor de sete anos de idade (6 anos,11 meses e 29 dias) sem reforço: administrar o 1º reforço, e agendar o 2º reforço, atentar para o intervalo de 6 meses entre as doses. 

Criança com 6 anos sem nenhuma dose de reforço, administrar o 1º reforço. Na impossibilidade de manter o intervalo de 6 meses entre as doses de reforço, agendar dT para 10 anos após esse primeiro reforço. Neste caso, essas crianças ficam liberadas do segundo reforço da DTP.

Hepatite A

Criança de 15 meses a quatro anos de idade (quatro anos 11 meses e 29 dias) devem receber uma dose dessa vacina.

 

 

Demonstrativo das vacinas disponibilizadas na Campanha Nacional de Multivacinação para crianças a partir dos sete anos de idade e adolescentes menores de 15 anos de idade:

 

Hepatite B

Criança e adolescente não vacinada com a vacina hepatite B ou com a penta e adolescente sem comprovação vacinal: deve receber três doses da vacina hepatite B com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda dose e de seis meses entre a primeira e a terceira dose (zero, um e seis meses).

Criança e adolescente com esquema vacinal incompleto: não necessita reiniciar o esquema, apenas completá-lo conforme situação encontrada. Gestante adolescente não vacinada ou com esquema incompleto deve ser vacinada com a vacina hepatite B de acordo com a situação vacinal, iniciando, ou completando o esquema. A vacina pode ser administrada a partir da comprovação da gravidez, em qualquer idade gestacional.

Febre amarela

Criança ou adolescentes a partir de sete anos de idade, RESIDENTE OU VIAJANTE DAS ÁREAS COM RECOMENDAÇÃO DE VACINAÇÃO OU COM RECOMENDAÇÃO TEMPORÁRIA DE VACINAÇÃO, não vacinada ou sem comprovante de vacinação:

* Administrar uma dose única da vacina.  * Considerar vacinada pelo resto da vida 

Particularidades devem ser atendidas conforme Nota Informativa nº 94/2017.

Tríplice viral

Criança ou adolescente que comprovar duas doses da vacina tríplice viral ou duas doses de tetra viral ou uma dose de tríplice viral + uma de tetra viral deve ser considerado vacinado.

Criança ou adolescente não vacinado ou com esquema incompleto, deve ser vacinado com a vacina tríplice viral conforme situação encontrada, considerando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. 

Esta vacina é contraindicada para gestantes.

dT

Criança a partir de sete anos de idade ou adolescente não vacinado ou sem comprovação vacinal para difteria e tétano, administrar três doses com intervalo de 60 dias entre elas, mínimo de 30 dias.

Criança ou adolescente com esquema incompleto para difteria e tétano, completar esquema de três doses, considerando as doses anteriores, com intervalo de 60 dias entre elas, mínimo de 30 dias.

Na gestante a vacina dupla adulto (dT) pode ser administrada a partir da comprovação da gravidez, em qualquer período gestacional. Completar o esquema vacinal, preferencialmente até 20 dias antes da data provável do parto. Verificar o período da gestação e indicação da vacina dTpa, considerando que toda gestante deve receber pelo menos uma dose de dTpa durante a gestação.

dTpa

Gestante a partir da vigésima semana (20a) administrar a vacina dTpa até 20 dias antes da data provável do parto, considerando o histórico vacinal de difteria, tétano (dT).  Para aquelas que perderam a oportunidade de serem vacinadas durante a gestação, administrar uma dose de dTpa no puerpério (até 45 dias pós parto), o mais precocemente possível.

Meningocócica C conjugada

Adolescente de 12 a 13 anos vacinado ou com esquema incompleto: administrar um reforço Adolescente de 12 a 13 anos não vacinado: administrar dose única.

HPV

* Sexo feminino:

Nas meninas de nove anos e nas adolescentes de 10 à 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) de idade, administrar duas doses, com intervalo de seis meses entre elas (0 e 6 meses) 

Esta vacina está contraindicada para GESTANTE. 

Meninas que receberam a D1 e não completaram o esquema vacinal, mesmo após o período de seis meses, devem receber a D2.  

Para as meninas que iniciaram a primeira dose da vacina aos 14 anos de idade, a segunda dose deverá ser administrada com um intervalo mínimo de seis meses e, preferencialmente, intervalo máximo de até 12 meses. 

Meninas que receberam a D2 com menos de seis meses após terem recebido a D1, devem receber uma terceira dose para completar o esquema, visto que a resposta imune está comprometida pelo espaço de tempo entre a primeira e a segunda dose. 

Não administrar D1 para adolescentes maiores de 14 anos, 11 meses e 29 dias (15 anos). Para meninas de 15 anos, só deverá ser completado esquema vacinal (D2).

Meninas que já completaram o esquema vacinal com a vacina bivalente não devem ser revacinadas.

Meninas menores de 15 anos com esquema incompleto com bivalente reiniciar esquema com quadrivalente.

Nas meninas de nove anos e nas adolescentes de 10 anos a 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) anos de idade, vivendo com HIV/Aids, transplantadas e oncológicas em uso de quimioterapia e radioterapia administrar três doses com intervalo de dois meses entre a primeira e a segunda dose e seis meses entre a primeira e a terceira dose (esquema 0, 2 e 6 meses). Para a vacinação deste grupo, mantém-se a necessidade de prescrição médica.

 * Sexo masculino

Nos adolescentes de 11 à 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) de idade, administrar duas doses, com intervalo de seis meses entre elas.  

Meninos que receberam a D1 e não completaram o esquema vacinal, mesmo após o período de seis meses, devem receber a D2. 

Para os meninos que iniciaram a primeira dose da vacina aos 14 anos de idade, a segunda dose deverá ser administrada com um intervalo mínimo de seis meses e, preferencialmente, intervalo máximo de até 12 meses.  

Meninos que receberam a D2 com menos de seis meses após terem recebido a D1, devem receber uma terceira dose para completar o esquema, visto que a resposta imune está comprometida pelo espaço de tempo entre a primeira e a segunda dose.  

Não administrar D1 para meninos maiores de 14 anos, 11 meses e 29 dias (15 anos). Para meninos de 15 anos, só deverá ser completado esquema vacinal (D2). 

Nos meninos de nove anos e nos adolescentes de 10 à 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) anos de idade, vivendo com HIV/Aids, transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia administrar três doses com intervalo de dois meses entre a primeira e a segunda dose e seis meses entre a primeira e a terceira dose (esquema 0, 2 e 6 meses). Para a vacinação deste grupo, mantém-se a necessidade de prescrição médica.

OBSERVAÇÃO: Para vacinação do público-alvo com esta vacina, o PNI reforça que o indivíduo deverá ser acompanhado por pelo menos 15 minutos após a vacinação e orientado o seu retorno a um serviço de saúde mediante qualquer sintomatologia.

 




Copyright © 2009-2017 Prefeitura de Florianópolis. Todos os direitos reservados.