home >
SOBRE A RESIDÊNCIA EM MEDICINA DE EMERGÊNCIA

A Medicina de Emergência passou a ser considerada especialidade pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Conselho Nacional de Residência Médica (CNRM) e Associação Brasileira de Educação Médica (ABEM) em 2015/2016.

 

A proposta do Programa de Residência em Medicina de Emergência foi desenhada conforme as diretrizes adotadas pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e é embasada, na proposta da Abramede (Associação Brasileira de Medicina de Emergência) e na experiência de outros programas já em funcionamento no país. Entretanto, algumas inovações e desafios serão implementados neste modelo já existente.

 

 O desafio proposto passa pelo entendimento da Medicina de Emergência não fragmentada, concebida e praticada em Rede. Os médicos residentes para além dos conhecimentos que permeiam a prática dos atendimentos em emergência irão vivenciar e estar familiarizados com diversos pontos da Rede de Atenção a Saúde, respeitando e reconhecendo a complexidade de cada um deles.

 

O Programa será desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde e está estruturado em atendimento pré-hospitalar, Unidade de Pronto Atendimento e Rede Hospitalar. Além disso, prevê carga horária na gestão dos Serviços de Emergência e em pontos de Atenção que fazem interface Rede de Urgência e Emergência.   

 

A carga horária total é de 8640 horas (60 horas/semanais), sendo 20 % da carga horária desenvolvidas em atividades teóricas (12 horas) e 80% em atividades práticas e teórico-práticas (48 horas). A duração do programa é de 36 meses.

 

São algumas das competências a serem desenvolvidas no Programa:

  • Liderar o atendimento nos diferentes níveis de gravidade em diversas áreas da medicina, tanto clínicas quanto cirúrgicas, incluindo desde o atendimento pre-hospitalar ao atendimento intensivo.
  • Atuar alinhado às leis, portarias e diretrizes do sistema de saúde nacional.
  • Compreender que o seu papel vai além das fronteiras assistenciais. 
  • Estar habilitado para coordenar um serviço de emergência, planejar seu dimensionamento de acordo com a população atendida e inseri-lo dentro da rede de atenção à saúde local.
  • Estar habilitado para atuar nos Serviços de atendimento pré-hospitalar incluindo normas, especificações e responsabilidades deste Setor.
  • Estar habilitado ao atendimento e prevenção de catástrofes, compreendendo um escopo de resposta padrão, técnico e efetivo para otimizar resultados.