+

Resíduos:




Orgânicos


A compostagem artesanal, por meio da reciclagem de resíduos orgânicos, traz de volta à cidade a beleza e o equilíbrio das paisagens naturais. A separação também facilita a destinação de recicláveis secos para a coleta seletiva.


O que serve para a compostagem:

Cascas de frutas e de ovos, sobras de verduras, restos de comida, borra de café ou chimarrão, filtro de café, aparas de grama, etc.


Como é feita:

A compostagem propicia um ambiente favorável à ação de bactérias e fungos que iniciam a decomposição dos resíduos orgânicos. Atraídos por tanta fartura, insetos, minhocas e embuás também operam a reciclagem. O produto final é o composto orgânico, terra escura de excelente qualidade.


Pela caracterização dos resíduos sólidos domiciliares coletados em Florianópolis:

,
  • 35% são orgânicos (24% restos de alimentos e 11% resíduos verdes como podas, restos de jardinagem e folhas varridas na limpeza pública)
  • 43% são recicláveis secos (embalagens de plástico, papel, metal e vidro)
  • 22% são rejeitos (lixo sanitário e outros materiais que não podem ser recuperados).

  • Então, das 193 mil toneladas recolhidas por ano pela coleta convencional da Comcap, em torno de 70 mil toneladas são resíduos orgânicos que, separados na fonte geradora, poderiam ser desviadas do aterro sanitário. Seria como deixar de mandar 27 caminhões de lixo por dia de Florianópolis para o aterro em Biguaçu.

    Ao custo de R$ 156,81 para transportar e aterrar cada tonelada desse resíduo, se o usuário do sistema de coleta adotasse as práticas de separar e reciclar o orgânico, a economia para o município poderia ser de até R$ 11 milhões ao ano, sem contar ganhos ambientais e sociais.


    Links interessantes:


  • Baixe o manual para fazer compostagem com minhocas
  • Consulte o Manual de Compostagem Doméstica, Comunitária e Instituciona de Resíduos Orgânicos, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente, Cepagro e Sesc-SC
  • Outras informações da eCycle sobre produção de composto orgânico.









  • Volumosos


    AGENDAMENTO PARA REMOÇÃO DE RESÍDUOS VOLUMOSOS


    A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA), opera a coleta de resíduos volumosos por demanda em toda cidade. O novo sistema de recolhimento será agendado ou por meio de pontos de entrega volantes, aos finais de semana, nas comunidades.


    O que é resíduo volumoso


    - móveis
    - eletrodomésticos
    - restos de construção (pequenas quantidades e ensacados)
    - latas e pneus
    - madeiras (separar de outros materiais).
    (Podas devem ser entregues para a coleta seletiva de verdes.)


    Como agendar


    Entre em contato com a Central de Atendimento da SMMA de segunda a sexta, das 8h às 17h (WhatsApp) (48) 98482 8462 (só mensagens escritas e imagens) (e-mail) volumosos.smma@pmf.sc.gov.br
    Para agendar, são necessárias as seguintes informações:
    Nome completo
    Endereço com CEP
    CPF
    Telefone para contato
    E-mail (opcional)
    Descrição dos resíduos e quantidades a coletar.

    - Os resíduos só poderão ser colocados na rua na data agendada.
    - A quantidade permitida por residência é de um metro cúbico, mais ou menos o volume de uma caixa de água de mil litros.
    A Comcap não poderá acessar propriedade privada para fazer o recolhimento, os resíduos deverão estar acondicionados corretamente na calçada, separados por tipo de material, no dia e hora agendados.
    Descartar lixo e entulho na rua ou em áreas clandestinas é crime ambiental inafiançável! Passível de pena de reclusão, de um a cinco anos, pela Lei Federal 9.605. Proibido em Florianópolis, segundo Código de Posturas Municipal, Lei 1.2224, de 1974.









    ELETROELETRÔNICOS E ELETRODOMÉSTICOS


    Produtos eletroeletrônicos e eletrodomésticos são recebidos nos Ecopontos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smma) Comcap e recolhidos em todos os domicílios de Florianópolis por meio de agendamento. A Prefeitura de Florianópolis já recolhe em média cinco toneladas por mês de eletroeletrônicos, mas agora, em cooperação com a Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (Abree), passa a certificar nacionalmente a destinação de eletroeletrônicos e eletrodomésticos ao sistema de logística reversa.



  • CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OS PONTOS DE RECEBIMENTO NO SITE DA ABREE
  • CLIQUE AQUIPARA SABER ONDE FICA O ECOPONTO MAIS PRÓXIMO
  • CLIQUE AQUIPARA INFORMAÇÕES SOBRE COMO AGENDAR A REMOÇÃO DOMICILIAR DE RESÍDUOS ELETROELETRÔNICOS E DE ELETRODOMÉSTICOS
  • CLIQUE AQUIPARA SABER MAIS SOBRE O DESCARTE AMBIENTALMENTE CORRETO DE ELETROELETRÔNICOS E ELETRODOMÉSTICOS.










  • Saúde


    A coleta seletiva da Comcap só recolhe frascos e potes de medicamentos e cosméticos vazios. Resíduos de saúde devem ser entregues em farmácias e postos de saúde.


    Sugestão de encaminhamento:



  • Todas as lojas da Rede Sesi (www.papapilula.com.br) recebem medicamentos vencidos.
  • No site www.descarteconsciente.com.br são indicadas as lojas da Panvel e DrogaRaia que recebem os resíduos.
  • Os postos de saúde recebem resíduos do uso de medicamentos injetáveis.
  • Profissionais como dentistas, acupunturistas, fisioterapeutas, tatuadores, clínicas e laboratórios devem contratar empresa privada para recolher os resíduos de saúde. (Dúvidas: Secretaria Municipal de Saúde, fone 3239 1500).










  • Perfurocortantes


    Materiais pontiagudos ou que contenham fios de corte devem ser acondicionados e destinados corretamente para evitar acidentes com garis.


    Resíduos de saúde:


  • Agulhas, seringas, escalpes, lancetas, ampolas e outros resíduos de saúde. Colocar em coletores especiais fornecidos pelo posto de saúde ou em garrafa pet lacrada (corte ao comprido na lateral da garrafa, coloque os materiais perfurocortantes dentro da garrafa e vede o corte com fita adesiva) Entregar nos postos de saúde da rede municipal de Florianópolis


    Na impossibilidade de levar ao posto de saúde, as agulhas devem ser acondicionadas em garrafa pet ou embalagem longa vida, devidamente vedadas com fita adesiva, e colocadas no saco da coleta convencional. Nunca destinar seringas e agulhas para a coleta seletiva porque causarão danos aos garis e aos triadores de materiais recicláveis.











  • ReÓleo - Óleo de Cozinha


    O recolhimento do óleo de cozinha é feito por meio do programa ReÓleo da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (Acif).


    A Comcap é parceira no Programa ReÓleo que recolhe de restaurantes, hospitais, shoppings, hotéis e outros geradores cadastrados. O sistema é feito com o armazenamento do óleo em bombonas, que são entregues aos geradores e recolhidas quando cheias. A empresa coletora leva o material recolhido periodicamente ao Centro de Valorização de Resíduos da Comcap, no Itacorubi. Lá, a empresa recicladora recolhe o material para processamento.


    Para destinar à reciclagem o óleo usado na cozinha, os moradores da Grande Florianópolis podem entregar o resíduo nos Ecopontos da Comcap ou nos locais de entrega orientados pela Acif.


    A separação é fácil:


  • Após a fritura dos alimentos, esperar o óleo de cozinha esfriar.
  • Colocar em uma garrafa pet, utilizando um funil com gase, se possível, para separar os resíduos sólidos.
  • Levar a garrafa tampada até o Ecoponto da Comcap.

  • Pontos de entrega de Reóleo
  • Ver onde ficam os Ecopontos da Comcap.



  • Caixa de Gordura


    Resíduos gerados exclusivamente em residências:


    O que são:

    Resíduos provenientes da limpeza das caixas de gordura, geralmente em estado semissólido, compostos principalmente por óleos, graxas, restos de alimento, plásticos, etc.


    O que não deve ser feito:

    Não devem ser descartados na rede pública de esgotamento sanitário nem lançados no sistema individual de tratamento de esgoto (vaso sanitário, ralos, tanques). Não deve ser jogado em bueiros ou em terrenos baldios.


    Onde e como deve ser colocado:

    Podem ser dispostos para a coleta convencional de resíduos sólidos da Comcap junto com os demais rejeitos gerados nas residências, em embalagem plástica rígida (potes ou baldes) ou metálica com tampa. Não é permitido colocar líquido junto com a gordura nem acondicionar os resíduos em sacos porque podem se romper no momento da compactação, produzindo mau cheiro, poluindo as ruas e atingindo os garis.


    Como limpar a caixa de gordura:

    Caixas de gordura fazem parte do sistema hidrossanitário das residências e para seu melhor funcionamento, devem ser limpas rotineiramente, no máximo a cada seis meses.



    No momento da limpeza:


  • A pia não deve estar sendo utilizada
  • É importante utilizar luva, avental e, se necessário, máscara
  • Raspar e retirar a gordura com uma espátula ou pá
  • Peneirar para retirar o líquido. Se possuir líquido junto com a gordura esperar secar
  • Nunca jogar os resíduos da limpeza no vaso sanitário, pois a limpeza terá sido em vão e ainda poderá causar entupimento da rede de esgoto do imóvel ou obstrução na rede de esgoto pública.

  • Medidas preventivas:


  • Raspar bem os pratos com restos de comida, colocando-os no local apropriado, antes de lavar a louça
  • Sempre passar um pedaço de papel toalha ou reutilizar o guardanapo de papel nas louças para retirar o excesso de gordura antes de lavar, esta é uma prática que além de ajudar a evitar entupimento da pia também ajuda a economizar água
  • Nunca colocar óleo de fritura na pia, entregar para o Programa ReÓleo. CLIQUE AQUI para acessar informações sobre o encaminhamento de óleo de cozinha.

  • Resíduos das caixas de gordura gerados em estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviços:

    (resíduos gerados em condomínios,restaurantes, lanchonetes, etc.)



    O que não deve ser feito:

    Não pode ser colocado para a coleta pública de resíduos sólidos.

    Não pode ser descartado na rede pública de esgotamento sanitário ou na rede pluvial (bueiros), nem lançado no sistema individual de tratamento de esgoto.



    Onde e como deve ser colocado

    O gerador deve contratar empresa tipo “limpa fossa” especializada para proceder a limpeza da caixa de gordura, retirada dos resíduos e encaminhamento ao tratamento e destino final adequado. Sempre solicitar o Certificado de Destinação Final, o Alvará Sanitário e as Licenças Ambientais de Operação (LAOs) do tratamento e do transporte para certificar-se que os efluentes provenientes de fossa e caixa de gordura serão tratados.



    Segundo a Lei Federal nº 11.445/2007, os estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviços não podem colocar os resíduos de caixas de gordura na coleta pública de resíduos sólidos.










    Animais Mortos


    Contratar serviço particular de funerária de animais, para que sejam cremados ou depositados em valas sépticas. MORADORES DE DE FLORIANÓPOLIS PODEM ENTREGAR DE FORMA GRATUITA ANIMAIS DOMÉSTICOS MORTOS NO CENTRO DE VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS (CVR), NA RODOVIA ADMAR GONZAGA, 72, NO ITACORUBI, DAS 7H ÀS 19H DE SEGUNDA A SÁBADO. O CORPO DO ANIMAL DEVERÁ ESTAR DeVIDAMENTE EMBALADO EM SACO PLÁSTICO RESISTENTE DE COR PRETA. O ANIMAL SERÁ DESCARTADO PELO MUNÍCIPE EM RECIPIENTE FECHADO, EXCLUSIVO PARA ESTA FINALIDADE, INDICADO PELA COMCAP. O corpo do animal morto será destinado a aterro sanitário por meio da estação de transbordo do CVR. São considerados animais domésticos cachorros, gatos, pássaros, anfíbios, répteis, coelhos e roedeores como os exóticos que convivem dentro do ambiente domiciliar. Canis, clínicas e/ou hospitais veterinários, petshop ou criadores só poderão realizar o descarte na Comcap mediante pagamento, a partir de cadastramento, pesagem e pagamento de DAM, de segunda a sexta, das 7h às 19h.


    Dúvidas: Centro de Controle de Zoonoses, fone 3237 6890











    Dejetos de Animais Domésticos


                 

    Os ovos de parasitas eliminados nos dejetos (fezes) dos animais são transmissores de doenças para crianças, adultos e inclusive para os animais.

    Os animais podem adquirir viroses e verminoses pelo contato com ambientes contaminados por dejetos de animais doentes ou portadores.  Os cães podem adoecer ao cheirar as fezes de outros cães.

    Dejetos de cães e gatos infestados por parasitas contaminam as ruas, as calçadas, a areia das praias, os gramados e o solo, podendo provocar doenças também nos seres humanos. Além disso, os dejetos abandonados de forma incorreta exalam odor desagradável, comprometem aspectos estéticos e são fatores de conflitos de vizinhança, especialmente em condomínios.

    A chuva carreia os dejetos deixados nas ruas, contaminando córregos, rios e o mar.

     

    COMO OS DEJETOS ANIMAIS DEVEM SER DESCARTADOS


    Em casa ou apartamento:

    • Dispor as fezes de animais na rede pública de esgoto sanitário ou para o sistema individual de tratamento de esgoto, por meio do descarte no vaso sanitário ou de ralo no canil coberto.
    • Dispor areia e tapetes higiênicos para a coleta convencional de resíduos sólidos da Comcap, em saco plástico resistente ou em embalagem plástica ou metálica com tampa, junto com os demais rejeitos gerados na residência.
    • Evitar o acúmulo dos dejetos. O ideal é que seja realizada a limpeza diária do local onde os animais fazem suas necessidades.
    • Em condomínios, sempre recolher os dejetos das áreas comuns.

     

    Na rua:

    Os espaços públicos são ótimos locais para passear, inclusive com os animais de estimação. Entretanto, é necessário dispor adequadamente os dejetos que os animais produzem durante o passeio, para não transmitir doenças assim como não sujar e poluir o ambiente.

    A posse responsável vai além dos cuidados básicos com alimentação e vacinação e por isso os proprietários e cuidadores devem proceder adequadamente:

    • Recolher as fezes, em sacos plásticos resistentes ou jornal e embalá-las de forma a evitar o rompimento da embalagem.
    • Não deixar os dejetos embalados em qualquer lugar, como calçadas ou próximo a postes, etc.
    • Não jogar os dejetos em bueiros nem em terrenos baldios.
    • Levar os dejetos recolhidos de volta para casa e jogar no vaso sanitário. Descartar a embalagem utilizada com os demais resíduos da coleta convencional. Numa emergência, em que não seja possível levar para casa, colocar os dejetos na papeleira mai s próxima, devidamente embalados.
    • Incentivar o animal a defecar antes de sair para o passeio.
    • Nunca levar cachorro à praia.

     

    Dejetos gerados em clínicas veterinárias, criadores, estabelecimentos de embelezamento e hospedagem de animais domésticos
     

    ONDE DEVEM SER COLOCADOS

    Estabelecimentos como clínicas veterinárias, de estética ou hospedagem e criadores de animais domésticos  ficam obrigados a dispor os dejetos dos animais no sistema de esgoto sanitário ligado à rede pública ou em sistema individual de tratamento, desde que em acordo aos preceitos do artigo 37, § 1º da Lei nº 239/2006.

     

    ONDE NÃO PODEM SER COLOCADOS

    Não podem ser colocados para a coleta pública de resíduos sólidos.

    Não podem ser descartados aleatoriamente no meio ambiente, em terrenos baldios e na rede de drenagem pluvial.

     

    Base legal 


    Lei Complementar 239/2006 que institui o Código de Vigilância em Saúde de Florianópolis

    Art. 37 Toda pessoa deve dispor higienicamente de dejetos, resíduos e detritos provenientes de sua atividade doméstica, comercial, industrial ou pública, de acordo com o prescrito em regulamento, normas, avisos ou instruções da autoridade de saúde, em especial, do órgão responsável pelo meio ambiente.

    § 1º A pessoa deverá utilizar a rede pública de esgoto sanitário, salvo as residências que comprovarem a existência de inviabilidade técnica e/ou econômica para tal e garantir que seu sistema de eliminação de dejetos não comprometa a sua saúde, a de terceiros ou o meio ambiente.

    § 2º Toda pessoa fica proibida de lançar despejos e resíduos industriais nos mananciais de água e sistemas de esgotos sanitários, sem autorização e sem o cumprimento de regulamentos, normas e instruções baixadas pela autoridade de saúde e pelo órgão encarregado da manutenção destes sistemas.

    CLIQUE AQUI para acessar arquivo da lei em PDF

     

    Lei Complementar 094/2001 que dispõe sobre o controle e proteção de populações animais. Bem como a prevenção de zoonoses

    Art. 8º É expressamente proibida a presença de cães, gatos ou outros animais em praias a qualquer título.

    Art. 14º É de responsabilidade dos proprietários, a manutenção dos animais em perfeitas condições de alojamento, alimentação, saúde e bem-estar, bem como as providências pertinentes a remoção dos dejetos por eles deixados nas vias públicas.

     











    Lâmpadas, pilhas e Baterias


    Lâmpadas, pilhas e baterias devem ser devolvidas aos fabricantes por meio de seus revendedores.


    A Associação Brasileira para Gestão da Logística Reversa de Produtos de Iluminação (Reciclus) oferece uma lista de pontos de coleta em Florianópolis.


  • Acesse o site da Reciclus para identificar o ponto de coleta mais próximo.
  • Dê preferências às pilhas recarregáveis


    Ao comprar as descartáveis, verifique na cartela se está escrito que é lixo comum. Se puder, o fabricante já reduziu a carga tóxica do produto e a pilha pode ser encaminhada à coleta convencional. Caso não seja, devolva nos pontos de coleta dos revendedores.


  • Veja no mapa os pontos de coleta de pilhas e baterias em Florianópolis
  • Consulte os pontos de entrega de pilhas da Green Recicla Pilhas